Bíblia no Cinema – Crítica: Filme “O Livro de Eli”

vlog-da-mi-anuncio

Já faz algum tempo que eu deveria ter escrito um texto sobre o Filme “O Livro de Eli”, eu o divulguei aqui no blog, mas com uma baita desconfiança pela forma como geralmente a mídia, e o cinema secular (com suas exceções obviamente) tratam os cristãos, e os temas bíblicos, sempre com adaptações extremamente livres, fora da realidade de como a Bíblia narra às historias; sem falar no perfil preconceituoso e obtuso com o qual somos tratados nas telenovelas.

No entanto não é o que acontece com este filme, até porque, não é uma adaptação de um livro ou personagem bíblico, mesmo que Eli (o nome) já seja, por si só, nome de um sacerdote da Bíblia, mas o que realmente importa nesse filme, é que o mesmo trata de algo extremamente especial, ele pergunta, como nós, no geral, nos dias atuais, temos tratado a Bíblia, a Palavra de Deus? Além disso, o Livro de Eli trata de como o nosso presente pode ser responsável por um futuro caótico como esse tratado no filme.

Falar da interpretação de Denzel Washington no papel do Eli é chover no molhado, pois a qualidade de seu trabalho como ator já é mais que conhecida, mas ao olharmos para ele com as vestes de Eli, durante o filme, faz você perceber que a situação da Terra é obscura, tudo ao redor dele lembra morte, o ambiente é inóspito, seco. Os vestígios de que uma guerra ocorreu, é percebido ao longo de seu caminhar, além dos proprios dialogos entre os personagens, que revelam que as pessoas, não todas, consideram a Bíblia a causa da Guerra, além do ambiente, que mostram buracos enormes no chão, falta luz, água e comida em vários lugares, e quem tem isso defende com uma arma na mão.

O filme apresenta os seres humanos em eterna guerra, a matança, a injustiça, estupros e demais atos de violência é uma coisa comum (apesar de não aceita) no pano de fundo do filme. Então, por mais negativo que seja a ideia de matar para proteger a mensagem divina, dentro do universo do personagem, funciona e é aceitável, de outra forma, é morte certa. É LITERALMENTE matar ou morrer no filme.

E justamente por causa da Guerra entre os homens, houve uma maior destruição da Camada de Ozônio, deixando os raios solares atingindo sem piedade a natureza e os seres humanos, muitos passaram a ficar cegos desde então, causando o uso de óculos de proteção bem comum no filme.

Com a expressão “30 invernos já se passaram” Eli nos mostra que ele segue seu caminho por muito tempo, e isso em obediência a uma voz que o indicou a seguir o caminho do Oeste, protegendo seu precioso “pacote” a Bíblia, (que o filme faz questão de deixar claro) ultima edição que resta no mundo, pelo que vemos. Muitas dificuldades são enfrentadas por ele durante sua jornada, vencidas na mão ou na bala, a um ponto que é difícil não acreditar que ele realmente não tenha um chamado especial.

O maior inimigo de Eli é Carnegie, interpretado porGary Oldman (Comissário Gordon – Batman) um homem que vê na Bíblia uma oportunidade de ter ainda mais poder do que já possui, percebe que o uso da Bíblia, suas palavras, pode dar a ele o controle sobre as pessoas, logicamente a usando em seu próprio beneficio (como muitos infelizmente o fazem hoje), o que faz Eli fazer de tudo para evitar que ele a possua, buscando ainda mais força para continuar sua jornada em direção ao Oeste, em busca de novas orientações do que fazer com a Bíblia em mãos.

O Livro de Eli

A jornada de um peregrino se mostra positiva quando outros seguem esse mesmo caminho, e isso não é diferente com Eli, ele questiona nossa vida com Deus, sua Palavra, sua fé em manter suas convicções. Da mesma questiona, como seria se de repente, a Bíblia fosse tirada de nós (tem quem deseje muito isso) você saberia sua mensagem, o que você sabe, lembra seria suficiente para você ser um portador de um livro que foi perseguido, queimado e destruído? Falar mais que isso é entregar um filme excelente, que você deve conferir assistindo, acredite você não vai se arrepender, eu espero que assim como eu, você questione sua própria atitude com a Palavra de Deus, e lute para colocá-la em pratica em sua vida de forma ainda mais eficiente.

Filme “O Livro de Eli” – Roteiro: Gary Whitta – Direção: Allen e Albert Hughes – Ano 2010.

Elenco: Denzel Washington, Gary Oldman, Mila Kunis, Ray Stevenson, Jennifer Beals, Evan Jones, Joe Pingue, Frances de la Tour, Michael Gambon.

 

Anúncios

5 comentários sobre “Bíblia no Cinema – Crítica: Filme “O Livro de Eli”

  1. Excelente filme. Bom pra desde já começarmos a nós fazermos luz para uma eminente e possível escuridão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s